sábado, 3 de fevereiro de 2018

“VAMOS A OUTROS LUGARES, ÀS ALDEIAS DA REDONDEZA!”



Evangelho de Mc1,29-39

Este evangelho, vem nos mostrar a proximidade de Jesus com os sofredores! Jesus não se apresentou ao povo, em cima de palanques, iludindo as pessoas com promessas vazias, e sim, em meio aos sofredores! Foi curando os doentes, libertando os acorrentados pelas as forças do mal, que Jesus se apresentou como o Filho de Deus!
O texto nos apresenta três momentos de atividades de Jesus, num só dia!
Para absorvermos melhor a mensagem que o evangelho que nos passar, seria interessante nos colocarmos dentro do  texto, fazendo a mesma experiência dos discípulos, passando um dia inteiro com Jesus, conhecendo de perto o seu cotidiano.
No primeiro momento, Jesus  sai da sinagoga, onde havia libertado um homem de um espírito mau, e segue, juntamente com Tiago e João, para a casa de Pedro, até então conhecido como Simão. Ao saber que a sogra de Simão, estava de cama com febre alta, Jesus vai até ela, e segurando-a  pela a mão, a ajuda a levantar! A partir de então, a sua febre baixou, e ela se pôs a servi-los.
Neste episódio, o que deve chamar mais a nossa atenção, não é a  cura em si, e sim, a postura de quem recebe a cura. A sogra de Simão, (Pedro) ao sentir a intervenção de Deus em seu corpo, ou seja, ao sentir-se curada, não se acomodou, pôs-se logo a servir! É o que Jesus espera de cada um de nós, Ele quer nos ver sempre em movimento e nunca parados! Quando  Jesus curava alguém, Ele sempre dizia: “levanta-te, vai..."
No segundo momento, vemos Jesus curando e libertando muitas pessoas, em frente a casa de Simão. A multidão que o procurava, crescia dia pós dia e, se por um lado, Jesus se compadecia daquela multidão que não tinha a quem recorrer, Ele sabia também, que não poderia prender-se aquele povo, e nem permitir que as pessoas o enxergasse como um fazedor de milagres. Jesus não fora enviado ao mundo para fazer milagres, os milagres que Ele realizava, ou  era por compaixão, ou para servir de sinal, de que Ele era  o enviado de Deus. O compromisso que Jesus assumira com o Pai, ia muito mais além do que realizar milagres, Jesus viera ao mundo para libertar o povo da escravidão do pecado, para ensinar a todos, o caminho da vida, caminho este que perpassa  pela a prática da justiça...
E por fim, no terceiro momento, o evangelho nos mostra Jesus em oração! Certamente, buscando no Pai, força e discernimento para exercer o seu ministério, para tomar as decisões certas, afinal, Jesus  tinha o seu lado humano e sem a força do Pai, Ele  poderia correr o risco de se deixar levar pelo o coração, e assim, comprometer o desenvolvimento do projeto de Deus, confiado a Ele. 
Enquanto Jesus estava em oração, Simão e seus companheiros,  o interrompeu dizendo: “Todos estão te procurando.” Para a surpresa destes discípulos, Jesus não volta para junto do povo. Fortalecido pelo o Pai, Jesus não se deixa levar pelo o seu lado humano, pois a missão confiada a Ele, deveria se estender a outros povos. “Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim. ”
 Vemos ai, a importância da oração, Jesus rezava sempre, principalmente quando Ele precisava tomar alguma decisão difícil como essa; o coração humano de Jesus pedia pra Ele ficar ali, socorrendo aquele povo tão carente, mas a missão exigia que Ele fosse ao encontro de outros povos.
Façamos como Jesus, busquemos força e discernimento no Pai, para que possamos acertar nas nossas decisões, decisões, muitas vezes difíceis, mas necessárias, como o rompimento com tudo  que nos afasta de Deus...

FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho

FONTE: http://homiliadominical2.blogspot.com.br/
.

sábado, 20 de janeiro de 2018

“SEGUI-ME E EU FAREI DE VÓS PESCADORES DE HOMENS.”



Evangelho de Mc1,14-20

Deus não somente nos deu a vida, como quis também, fazer parte da nossa vida, caminhar conosco, se tornar um de nós!
Não fomos criados para sermos meros viventes, fomos criados para relacionar com Deus, e esta relação amorosa se faz por meio de Jesus! Jesus é o único mediador entre o céu e a terra, estar com Ele, é estar com Deus!
No nosso encontro pessoal com Jesus, descortinam-se  novos horizontes,  ampliando a nossa visão, nos fazendo enxergar além do que os olhos  humanos alcançam!
O evangelho que a liturgia de hoje nos convida a refletir, narra os primeiros passos de Jesus na vida pública, quando Ele começa a desenvolver o projeto de Deus, que tem como prioridade a vida humana. O que  aconteceu num momento conflituoso, logo após a prisão de João Batista, o que não intimidou Jesus, pelo o contrário, o encorajou ainda mais.
A prisão de João Batista, ao mesmo tempo em que marcou um tempo de grandes turbulências, marcou também, o início de um tempo novo, quando as promessas de Deus começam a se cumprirem com a chegada do Messias! “O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e credes no evangelho!”
 Quando Jesus disse: “O reino de Deus está próximo”  Ele fala de si mesmo, pois a sua pessoa, é a própria presença do Reino próxima daquele povo e hoje de nós!
Graças ao testemunho de João Batista, Jesus não entrou na história como um desconhecido, antes Dele se manifestar como o Filho de Deus, o povo já sabia que Ele era o enviado de Deus: o Messias! 
“Eis aí o Cordeiro de Deus...” A partir desta apresentação de João Batista, inicia-se um tempo de graça, a palavra de Deus começa a ganhar vida nas ações vivificantes de Jesus! 
Se quisesse, Jesus poderia realizar as obras do Pai sozinho, mas Ele quis contar com um pequeno grupo de pessoas, que participando diretamente do seu dia a dia, presenciando os seus feitos, poderiam mais tarde, dar testemunho Dele no mundo!
Para formar esta pequena comunidade, que mais tarde seria chamada de Comunidade dos Apóstolos, (enviados), Jesus não foi atrás de pessoas letradas, seus primeiros escolhidos, saíram das margens do mar da Galileia. O seu olhar, pairou sobre os pescadores, homens simples, porém corajosos, trabalhadores, acostumados com os desafios de buscar o sustento de cada dia, nas profundezas do mar, de mares, muitas vezes revoltos!
Mediante ao chamado de Jesus, estes pescadores, não hesitaram em deixar tudo para segui-lo! De pescadores de peixes, eles  passaram  a serem  pescadores de gente, dispostos a lançar as suas redes nas profundezas do mar humano.
Foi graças ao testemunho desta primeira comunidade, fundada por Jesus, que a mensagem do evangelho, chegou até nós e continua chegando a muitos corações, de geração em geração!
Hoje, somos nós, os convocados a dar continuidade a missão de Jesus  aqui na terra, a sermos instrumentos de paz em meios aos conflitos!
É urgente a necessidade de homens e mulheres corajosos, pessoas dispostas a lançar suas redes em águas mais profundas!
É apontando Jesus ao outro, é abrindo caminho, construindo ponte entre irmãos, que daremos testemunho de Jesus, sendo sal e luz do mundo, como Ele mesmo afirma que o somos em: Mt5,13-14.
Mais importante do que ser Cristão, é ser discípulo de Jesus, pois o discípulo não só crê em Jesus, como também se torna íntimo Dele, seu aprendiz! A convivência com Jesus, transforma a vida do discípulo,  o inquieta, o faz ter pressa de levar ao outro, o que aprendeu do Mestre, é a partir daí, que ele passa a ser missionário (a) um anunciador da Boa Nova do Reino!
O reino de Deus está próximo de nós! Para fazermos parte deste Reino, isto é, fazermos parte da vida de Jesus, só nos é exigida uma condição: a conversão do coração! Sem uma mudança radical de vida, não tem como fazer parte do Reino de Deus, que é fundamentado no amor. Quem não ama, se exclui do Reino...
Deus quer salvar a humanidade convocando cada um de nós para uma missão, Ele quer contar com a nossa disposição, com o nosso serviço na construção de um mundo melhor! Ser indiferente ao seu chamado, é ignorar o seu projeto de vida nova para todos. 
Abracemos a nossa missão, sem temer os ventos contrários, pois a nossa sustentação está em Jesus!

FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho

FONTE: http://homiliadominical2.blogspot.com.br/
.